quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Memórias Setembrinas

Setembro, nono mês do calendário, marcado por grandes eventos.
No sul, a festa da Farroupilha e a Setembrina são tradicionais e muito concorridas.
No Brasil, como um todo, a chegada da Primavera é comemorada com brilho e alegrias.
A estação das flores é a mais linda das quatro estações climáticas. É, com a sua chegada, que o colorido e o perfume das flores passam a ser exaltados.
Eu, particularmente, tive a grande flor da minha vida em Setembro. Ela chegou neste plano exatamente no dia de início da estação, 23 de Setembro. O ano não importa. Import
a que viveu toda a sua existência exalando o mais terno dos perfumes.
Suas mãos, tal qual pétalas de rosas, por mais de meio século me acarinharam nas horas de aflição, no meu querido Bixiga. Curaram minhas feridas, com ternura e dedicação. Aplaudiram minha arte quando se fez necessário e, da mesma forma, souberam aplicar corretivos, e foram muitos, mas, todas as vezes que me senti punido pelas mãos aveludadas, fui sempre banhado por gotas orvalhadas de suas lágrimas, provando quanto sentiam a aplicação daquele castigo. Sampa assistiu.
Isso mesmo, a minha flor, não é outra, é Dona Terezinha, nascida
Tereza Sito que, depois, adotou o Chammas como novo sobrenome. ,
Mulher de pequena estatura, 1,60 m de altura, que tinha o coração com mais de 2,00 m de tamanho.
A dona de casa perfeita, a cantora que mais agradou aos meus ouvidos, a tricoteira e bordadeira mais exímia que conheci.
Enfim, a minha MÃE!
Sua estampa física, infelizmente, o tempo cruel consumiu; só não conseguiu apagá-la da minha mente.

Hoje, minha mãe, peço licença aos demais frequentadores deste espaço, para não editar alguma das minhas memórias corriqueiras.
Quero, neste texto, homenagear a data do teu nascimento e prantear o teu desaparecimento, embora tenho certeza absoluta que, na luz de outro pranto, ainda continuas a zelar por este teu filho querido.
Parabéns, mamãe!
Sua benção, minha velhinha!

Por Miguel Chammas

10 comentários:

Soninha disse...

Olá, amor!

É muito consolador entender que a vida continua, após a morte do corpo físico, e que nossos entes queridos, que nos precederam no túmulo, continuam vivos em outro plano dimensional, nos amando e nos cuidando em nome de Jesus.
De lá de onde sua mãezinha estiver, com certeza recebeu sua homenagem e seu beijos e se sentiu muito feliz por ser lembrada com tanto carinho.
Que Jesus a abençoe, neste dia e para sempre!
Muita paz! Beijosssssss

Laruccia disse...

Quanta ternura, quanta beleza, quanta pureza traz essa mensagem, caro fratelo Michele. Vc sabe, como poucos, enaltecer a vida da mais nobre entidade que Deus conferiu a um ser humano: MÂE. É verdade, nem todas são iguais mas, por ter um filho que dilacera corações com suas edílicas crônicas, temos a certeza de que dna. Tereza foi, de fato, a MÃE mais do que exemplar pra merecer estas linhas de seu querido filho. Parabéns, Micheluccio, me fa piangere com questi paroli. Che Dio te benedete.

Zeca disse...

Miguel,

parabéns a você pela bela crônica em homenagem à sua mãe que, com certeza, está sempre ao seu lado, cuidando do filho querido, da mesma maneira que o fazia quando ainda habitava entre nós.
E parabéns à D.Terezinha, não só pela data, mas pelo filho que criou e que distribui aos seus amigos e moções tão puras e tão verdadeiras.

Abraço, meu amigo.

Luiz Saidenberg disse...

Duplo parabéns, Miguel, pelo nascimento de tão boa mãe, e por ela ter tido um filho que correspondeu, com certeza, a todas suas esperanças.Bela homenagem. E ainda mais, aconteceu no início da Primavera, com o despontar das flores. Abraços. Triplos parabéns !

Miguel S. G. Chammas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel S. G. Chammas disse...

Agradeço a todos que, carinhosamente, se uniram a mim nesta singela festa de aniversário.

Miguel

Arthur Miranda disse...

Miguel. Feliz aniversário para sua mamãe,também tenho muita saudades da minha. Mãe tem sempre um enorme espaço no coração de seus filhos.Não existe coisa mais bela, que fazer aniversário no inicio da Primavera.

Bernadete disse...

Miguel,que bela homenagem! É gratificante ver um filho falar sobre sua mãe, de forma tão carinhosa.
D.Teresinha deve estar orgulhosa e feliz, com todo esse carinho.
Um abraço

MLopomo disse...

Um texto pra lá de bonito. Me lembro de um disco italiano dos muitos que meu pai comorava de na vos de Henrico Caruso, que dizia. Mama San Tanto Feliche, pode ser que até não escrevi direito, mas direito tinha uma mãe de ouvir isso de seu filiollo.

Leonello Tesser (Nelinho). disse...

Miguel, simplesmente maravilhosa a homenagem que você presta àquela que lhe deu a vida, com certeza ela está cuidando de você com o mesmo carinho e amor de quando estava ao teu lado, parabéns caro amigo, abraços, Nelinho.