segunda-feira, 5 de julho de 2010

Percepção










Ocupado que estou em criar o site e o portifólio da empresa onde hoje trabalho, acabei envolvendo-me ainda mais com a Cidade de São Paulo.
Após várias seções de “brainstorming”, concluímos que deveríamos associar a comunicação visual de nossa empresa, que acaba de completar 50 anos, à imagem da Cidade.
Como realizar isto? Ai ficou a dúvida até a próxima reunião, quando um de nossos colaboradores colocou em pauta que a arquitetura de uma cidade é um de seus maiores valores históricos e sugeriu que a evolução arquitetônica de
São Paulo fosse a linha mestra da comunicação de nossas peças de divulgação mercadológica.
A idéia foi aceita de imediato, sem restrições e, a partir deste momento, saímos à escolha das imagens que ilustrariam esses veículos.
Não tive dúvidas e passei a andar diariamente com minha máquina fotográfica (minha entre aspas, da minha esposa) a tira colo e registrar tudo que julgava belo no Centro Velho.
Quanta beleza e quanta história! Encontrei locais onde convivem prédios do século XIX de Ramos de Azevedo com prédios ainda contemporâneos das décadas de 70 e 80 e a arquitetura futurista.
Fotografei, por vários ângulos, a Faculdade de Direito do Largo São Francisco com seus lindos arcos e vitrais maravilhosos. Também estiveram no foco de minha lente a Escola Técnica Álvares Penteado, o prédio do Palácio da Justiça e o Tribunal de Justiça.
Vi a obra prima da estrutura em aço com o qual fora forjado o Viaduto Santa Efigênia, ligando o presente à visão de futuro de nossa cidade.
Pude contemplar, ali da São João com o Vale, a vista do magnífico Edifício Martinelli em contraste com o cartão postal do Prédio do Banespa, agora Santander. O banco mudou de nome, porém, o prédio será sempre o do Banespa.
A esquina da São Bento com a Patriarca, onde um prédio de mais de um século contrasta com o imponente prédio do Unibanco, ou será do Itaú, na esquina com a Rua Direita.
Via a Catedral, cujas pedras meu avô paterno Manoel Vilanueva Falcon talhou nas pedreiras de Itaquera.
Meus olhos brilham e minha lente registra a beleza do Pátio do Colégio onde a história teve início.
Vi muita gente no chão, cheirando a urina e vivendo como animais abandonados.
Eu vi...

Por Marcos Falcon

10 comentários:

tutu disse...

Lindissimo seu texto meu caro Falcon, adorei

Soninha disse...

Olá, Falcon...bom dia!

Texto impecável. Adorei!
Trabalha assim é bom...Vendo estas paisagens magníficas da Sampa, recolhendo material para seu trabalho.
Lindo passeio e, pelo visto, produtivo.
Obrigada pela participação. Mande mais textos, ok?!
Excelente semana. Bom trabalho.
Muita paz!

Miguel S. G. Chammas disse...

Falcon, você provou que nem só de futebol vive um paulistano. Lindissimo passeio por nossa Sampa.
Teu texto tem gosto de quero mais....

Marcia disse...

Marcos, lindo texto; a gente chega a ver os locais descritos, tamanha precisão em mencioná-los. Parabéns, abraços.

MLopomo disse...

Marcos Falcon é hoje o senhor da zona leste, e celebrae, muito bem seu bairro de tantos anos, a querida Itaaquera que conheço bem, já a 45 anos. Portanto fiquem atentos que logo vamos se deleitar nas molecagens desse menino Itaquerense.

Leonello Tesser disse...

Falcon, voce retratou bem a cidade de São Paulo de ontem e de hoje, com suas belezas e mazelas, parabéns, Nelinho.

Luiz Saidenberg disse...

Caro Falcon, boa ideia de fazer um levantamento dos sítios centrais de São Paulo. Bela descrição, a ainda linda e histórica arquitetura, porém tomada por grossa camada de sujeira, pichação, e, mais triste ainda, miséria humana. Pobre Centro de São Paulo!
Abraços.

Modesto disse...

Marcão, fotografando São Paulo com sua preocupação em conseguir ângulos inusitados, deve resultar coisa boa. Acompanhado de sua esposa, então, deve ser maravilhoso. Gostaria de ver estas fotos, um Falcon sempre é surprendente. Um abraço, Marcos.

Bernadete disse...

Falcon, acho que tudo fica muito bonito mesmo,principalmente quando visto através de lentes fotográficas.
Tenho aqui na minha saleta, fotos em preto e branco do gradil do Viaduto Santa Efigênia. Fotos tiradas por uma de minhas irmãs.
Um abraço

Zeca disse...

Marcos,
parabéns pelo texto que nos leva a uma São Paulo mais antiga e mais elegante, sem as tristes mazelas de hoje, testemunhadas por você e por todos nós que circulamos por essa mesma cidade de tantos encantos e tantos desencantos.
Abraço.