quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Os quatro irmãos gêmeos

4 filhos gêmeos: Diana, Esmeralda, Dirceu e Estácio. Não sei quem nasceu primeiro; as mulheres são paressidíssimas entre si e os homens, ide
m porém, os dois pares (homens e mulheres) são bem diferentes, no confronto.

Nunca falei sobre estes filhos mas, tenho-os, com muito orgulho e
são uma das razões de minha vida. São meus, mesmo, não são de criação, nada. Alguns dos colegas, cronistas e contistas já os conhecem porém apenas, superficialmente.
São muito unidos, um ajuda o outro, em qualquer emergência, não se separam pra nada. Meus amigos e conhecidos são seus amigos e, as vezes, parceiros em jogos, principalmente quando eu jogava futebol. Hoje pratico só caminhadas e sinuca, com 78 anos não resta muita coisa. Na escrita eles me ajudam muito, bons companheiros, quando escrevo, mantem-se calados.

Num dado momento, notei que uma especie de ciumes começou a florescer entre eles. É voz corrente, entre meus amigos e pessoas desinteressadas, que existe diferença entre os quatro, ou melhor, conceituaram Dirceu e Estácio como superiores em relação a Diana e Esmeralda. Não que haja algum problema com relação as duas moças, são bondosas, inteligentes, cuidadosas e suportam um trabalho diário bem pesado; mesmo assim, são consideradas inferiores, o que não concordo.

Os rapazes, considerados superiores, são, igualmente inteligentes, laboriosos, bondosos e suportam um trabalho não tão penoso mas, igualmente interessados em direcionar e conduzir seus afazeres com bastante responsabilidade, expostos as intempéries mais do que as irmãs, estão sempre mais próximo de mim, residindo aí, talvez, a alcunha de superiores.

Os quatro parecem que não se importam com estas qualificações, se amam e se respeitam muito e, numa simbiose natural, lembram os personagens do romance “Os irmãos Corsos” em que, quando um se feria ou tivesse alguma alegria a festejar, o outro sentia as mesmas emoções.

Nunca vi cenas de ciumes ou inveja entre eles porém, observando
bem, notei certas reações com fatos ocorridos e que me levam a crer na existência de leves manifestações gelosas entre elas, principalmente. Pequenas ocorrências não me comovem muito, achando os fatos de natureza leve, sem maiores comprometimento.

Há poucos meses atrás, porém, a Diana teve que sofrer uma cirurgia delicada que a obrigou a umrepouso forçado e, durante esse transe, foi atendida e tratada com carinho, a Myrtes cuidando dela muito bem e sempre com minha colaboração. Os dois irmãos, Dirceu e Estácio, sempre solícitos, atendiam a tudo que fosse necessário durante a convalescênça mas, o mesmo não ocorre com a Esmeralda. Não que não ajudasse muito, prestativa e sempre pronta em qualquer esforço pra ajudar a irmã. Porém, após alguns dias, sobrecarregada com seus afazeres e, agora, com os da irmã, começou a se queixar de dores, exigindo de mim maiores cuidados. Levei-a ao médico e ele diagnosticou o início do mesmo problema da irmã, porém, sem a mesma gravidade, poderia esperar mais alguns anos sem maiores consequências. Conclui como ciumeira, simplesmente, sem dizer nada ao médico e muito menos a ela, Esmeralda.

Com os rapazes ocorre quase o mesmo. Quando a Diana foi operada, Dirceu ficou com ela no hospital e, por necessidade, foi ao banheiro, escorregou e se machucou. Tirou radiografia, não apresentou nenhuma fratura mas, mesmo assim, uma luxação dolorida, até hoje o incomoda. Estácio, da mesma forma, sempre prestimoso com o irmão, além de seus afazeres, tem que executar parte das obrigações do irmão combalido.
Aconteceu o (in)esperado, Estácio descontente com estas obrigações, num passeio matinal, sempre ao meu lado, leva um tombo e se machuca muito, impedindo de executar os seus e os afazeres do irmão por quinze dias seguidos.

Esse tempo de convalescênça terminou ontem, 28\12\10, despeço-me de todos com os mais sinceros e ardentes votos de um MARAVILHOSO ANO DE 2011. DA MYRTES E MODESTO.


Já adivinharam quem são meus quatro filhos gêmeos? Não?
São meus braços, Dir(eito)ceu e Es(querdo)tácio, membros superiores e as minhas pernas, Di(reita)ana e Es(querda)meralda, membros inferiores.

“SCUZATTI LO SCHERZO, AMICCI, BISOGNA RIDERE, UN PO”
(desculpem a brincadeira, amigos, precisamos rir, um pouco)

Por Modesto Laruccia

6 comentários:

Wilsonnatale disse...

Ma dai, bello! Eu mi tava pensando qui vucê mi tinha comito muita banana geminada... É. A minha nonna dizia que quando a gente come muita fruta geminada, acaba pondo no mundo um monte di "gemelli". Ahahahaaaaaaa!
Questi problemi ce li passaiamo tutti noi. Cosa si può fare. Noi mai mettiamo in testa che il corpo se invecchia perchè il nostro spirito è sempre giovani.
È della vita, n'è vero? Oggi si fà la passeggiata, dopo si cadde, adesso si prende qualche pastiglia, si và al' letto e... Domani s'incomoncia tutto.
Ma, fincché la barca và, lasciala andare.
Um Feliz Ano Novo para Dona Myrtes, para você e para os seus quadrigêmeos.
Abração,
Natale

Soninha disse...

Olá, Modesto!

Só você mesmo!
Conforme eu ia lendo seu texto, ficava admirada e me perguntando: será que Modesto e Myrtes tiveram quadrigêmeos mesmo?
Mas, ao longo do texto e antes do final, eu tinha matado a charada e ri muito...
Excelente analogia estasua. Ficou ótimo!
Adorei, Modesto!
Deejo que você melhore de todos os seus problemas de saúde e comece 2011 com muita saúde, junto com Myrtes e com seus filhos e netos.
Feliz 2011!
Muita paz!

Luiz Saidenberg disse...

Imaginosa história, caro Modesto.
Seus membros inferiores e superiores protagonistas de interessante novela. Que seria de nós , sem eles? nalgumas pessoas falta um ou outro desses irmãos, e mesmo assim se viram. Mas sempre é triste espetáculo. Que Deus mantenha saudáveis nossos membros e apêndices! As dores de idade são inevitáveis, meus ombros doem, tb os joelhos, então não posso fazer ginástica como há alguns anos, mas tirando esses pequenos males, vamo qui vamo, lépidos e prestos! Abrações.

Miguel S. G. Chammas disse...

Carissimo Mô. a questão é sabervivere la vita!
Vc mais do que ninguem sabe leva-la adiante.
A analógica imagem é metafófica. mas totalmente brilhante. Adorei o tema e 0 desenvolvimento dele.
Vc é, sem duvida alfuma, meu mais querido contista.
Continue assim amicci!

MLopomo disse...

No decorrer da leitura, já pensava em fazer um texto, parabenizando a Miytes,. Feliz a mulher que coloca quatro filhos de uma só vês no mundo. Pensava... ES uma mulher digna de paginas de jornais e revistas, reportagem de tele jornais. Até mesmo tema para novela ou, serie de dia das Mães. De repente o texto de divide em direita volver, esquerda retroceder!, E o que seria filhos, ficou em pés e mãos. O pior de tudo que se a Mirtes não cuidou do que seria filhos, cuidou do que é, mãos e pés. Mama Mia!

suely schraner disse...

Puxa, você me pegou também. Tava crente que eram crianças mesmo. Parabéns pela criatividade. Abbraccio.