quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Natal para todos

Tem coisas que não deveriam ser mudadas nunca; o Natal é uma delas!

Não o Natal como símbolo de presentes, compras, que chega a cada ano cada vez mais cedo, onde uma enxurrada de ofertas e apelos chegam até nós de todas as formas, ficando impossível não percebê-las.

Falo do Natal sentimento; aquele que envolve a todos, em todas as partes do mundo, trazendo aos vários locais desse planeta essa energia de expectativa, de desejos, enfim, de esperança.

O Natal que espalha por todo o planeta sentimentos tão fortes que envolvem cristãos e não cristãos, pessoas de fé e ateus, ricos e pobres, maiorias e minorias... Todos.

Em São Paulo não é diferente: percebemos já no mês de setembro aquela movimentação característica preparando a cidade para o Natal: shoppings se esmerando em criatividade para diferenciar suas decorações; o apelo cada vez maior e diversificado em opções de presentes; movimentos sociais aumentando suas atividades de inclusão, tentando minimizar a d
istância entre as classes, pelo menos nessa época, e por aí vai.

Agora, o que nos faz crer que o Natal é para todos é que, durante esse período natalino, muitos saem da cidade, buscando praias, campos, viagens com familiares e amigos, o que é realmente saudável.

Involuntariamente, abrimos com isso, espaço para que a confraternização nessa megalópole se estenda com maior facilidade para todos.

Shows ao ar livre, reveillon na Paulista, a iluminação natalina espalhada por toda a cidade provocam verdadeiros roteiros turísticos, a pé, de ônibus e metrô, permitindo que
todos, mas todos mesmo, usufruam do lado bonito e harmonioso dessa maravilhosa cidade, partilhando essa energia e esses sentimentos que envolvem todos de forma igual.

Pelo menos na época a gente tem a impressão que a cidade de São Paulo e o significado do Natal são para todos.

Feliz Natal pessoal!

Por Márcia Sargueiro Calixto

8 comentários:

Wilsonnatale disse...

Há muito tempo perdeu-se o essência do Natal.Sua real significação caiu em desuso.Serve apenas para gerar mais um entre os tantos feriados prolongados ou estourar os cartões de crédito.
O aniversariante desse dia, ninguém sabe, ninguém viu.
Mas sabem das novidades do shopping,dos eventos que acontecerão na cidade e QUEM importante vai, ou não vai brilhar na noite. E a cidade se ilumina, cria os shows populares. Cenários perfeitos para criar a impressão de confraternização, solidariedade, amor...
E o Espírito do Natal fica ao longe,observando esses Senhores Scrooge da vida.Um dia ele´virá cobrá-los.
"LORD KEEP MY MEMORY GREEN"!
Ainda bem, Márcia - não sei se muita ou pouca - que há excessões.
Um Natal de paz e amor a você e aos seus.
Abração,
Natale

Miguel S. G. Chammas disse...

É Marcia o espírito do Natal está no ar e eu fico cada vez mais sentimentaloide.
Este ano, por minha total decisão, sem a companhia de meus filhos, o sentimento está à flor da pele, mas acho que vou aguentar o tranco pois minha companheira, a Soninha, estará ao meu lado buscando me tranquilizar.
Que vc tenha um Santo e Feliz Natal, são meus mais sinceros votos.

Zeca disse...

Sabe, Marcia...

existem as críticas, legítimas, aos apelos comerciais, às armadilhas para que compremos compulsivamente, enfim, a tudo que nos desvia da origem dessa data, que deveria ser apenas para comemorar o nascimento de Jesus e renovar a nossa fé e as nossas esperanças de um mundo melhor. Muito bem! Concordo com elas!

Mas...

por outro lado, esse clima criado, mesmo que artificialmente, pelos enfeites que invadem a cidade, pelos shows e pelo deslumbramento que o festival de cores e de sons cria nas pessoas, fazem com que eu bata o meu martelo sobre o seu belo texto e concorde plenamente com sua brilhante conclusão: "pelo menos na época a gente tem a impressão que a cidade de São Paulo e o significado do Natal são para todos."

Parabéns! E um Feliz Natal para você e para todos os seus entes queridos!

Abraço.

Luiz Saidenberg disse...

Feliz Natal tb para você eos seus, Márcia!
Realmente, quem passa á noite pela principais vias de S. Paulo no Natal pensa que se enganou de cidade. Onde estará, Nova Iorque, Londres? A bela iluminação e as sombras dissimulam as mazelas, a miséria e a pichação. Fosse o ano todo assim, e que essas alegrias se estendessem tb aos dias, de uma cidade mais digna, humana e tranquila...

Soninha disse...

Olá, Márcia!

EU gosto muito desta época do ano, pois as ruas ficam mais bonitas, enfeitadas...as casas enfeitadas...
Como seria bom se durante todo o ano fosse assim, né?!
Ano passado, levei minhas netas para verem a fonte luminosa do Ibirapuera e a decoração do local...lindooooooo!! Elas adoraram...e eu também!
Valeu, Márcia!
Obrigada.
Muita paz! Beijossssssss

Márcia S. Calixto disse...

Sonia, que bela surpresa vc me fez. Adorei a postagem do texto e dos comentários. Muita paz e muita luz pra vc e o Miguel. Diga a ele que ele aguenta sim. O importante é vcs estarem um ao lado do outro e ambos vibrando positivamente pelos amigos e parentes, principalmente pelos filhos que estão distantes fisicamente. Um grande beijo e mais uma vez obrigada pelo carinho.

Modesto disse...

Realmente, o Natal é uma festa DIFERENTE. Sua crônica é uma delícia de se ler. Parabéns, Marcia.
modesto

Bernadete disse...

Marcia, seria ótimo que nossa São Paulo,permanecesse assim, linda,iluminada e bem cuidada durante todo ano.
Um abraço e um Feliz Natal.