domingo, 15 de maio de 2011

Paulicéia Italiana


Olá,amigos!
Recebemos o texto abaixo de nosso amigo Laer Passerini, que enviou a todos vocês também.
Consideramos bem interessante este trabalho de pesquisa e as informações preciosas nela contidas. Por isso, vale deixar registrado também aqui, em nosso blog, que traz as diversas memórias de Sampa.
Entrego-lhes,com meu carinho de sempre.
Muita paz!

Obras pela cidade contam um pouco da relação entre o Brasil e a Itália

Réplica de Davi, de Michelangelo, no Tatuapé, fonte à la Roma, na Vila Nova Conceição, e um presente de Mussolini na Guarapiranga.
Essas obras que remetem à história e à arte italianas ganham uma companhia "futurista" no Ano da Itália no Brasil. O casarão da década de 20 em estilo neoclássico na avenida Higienópolis, que por muitos anos abrigou o consulado da Itália, passará por obras de restauração, ampliação e modernização.
No local, hoje está o Istituto Italiano di Cultura, que contará com restaurante, teatro, duas galerias e centro multimídia de informações.
O projeto é do italiano Massimiliano Fuksas, um dos principais nomes da arquitetura contemporânea, responsável pela fábrica da Ferrari, na Itália, e pelo Centro da Paz, em Israel.
A fachada do casarão será mantida, e o anexo futurista ficará nos fundos.
A previsão é que as obras comecem em outubro, quando tem início oficialmente o Ano da Itália no Brasil - que vai até junho de 2012 -, e terminem em até dois anos.

FONTE MILÃO
A praça Cidade de Milão, ao lado do Ibirapuera, foi inaugurada em 1962, com a presença do prefeito daquela cidade. Réplicas das esculturas de Michelangelo para o túmulo dos Médici estão na área -mas, ao contr ário das originais, têm os órgãos sexuais masculinos cobertos por folhas.

HERÓIS DA TRAVESSIA
Monumento foi feito para homenagear pilotos de hidroavião que voaram da Itália ao Brasil, nos anos 1920, e pousaram na represa Guarapiranga. Mussolini enviou uma coluna para a obra, retirada de construção milenar então recém-descoberta em Roma.

FESTAS ITALIANAS TRADICIONAIS (*)

FESTA DE CASALUCE
Até o dia 29, às 18h R. Caetano Pinto, Brás Tel.: 3209-6051. Grátis (**)
FESTA DE SÃO VITO
Até 3.jul; sáb., às 20h, dom., às 19h R. Polignano A’ Mare, 255, Brás Tel.: 3227-8234. R$ 4 (**)
FESTA DE RUA DE S. VITO
Até 19.jun, às 18h R. Polignano A’ Mare, 51, Brás Tel.: 3228-8144. Grátis (**)
FESTA DA ACHIROPITA
De 6.ago a 4.set; sáb., às 18h, dom., às 17h30 Arredores da rua 13 de Maio, Bela Vista Tel.: 3106-7235. Grátis (**)
SAN GENARO
Quando: De 10.set a 09.out R. San Gennaro e Rua Lins, na Mooca Tel.: 3207-1049. Grátis (**)

(*) Além de barracas, as festas têm cantinas, nas quais é preciso fazer reserva. As festas são aos sáb. e dom.; (**) Valor para ter acesso às barracas

Por Laer Passerini

8 comentários:

Luiz Saidenberg disse...

Muito legal, paisá!
Belo roteiro de Italia in Brasile. Para ninguém botar defeito, nem deixar de conhecer.
Abraços.

Wilsonnatale disse...

Laer: Eu já estou de faca e garfo na mão! (risos)
Com excessão da "Carupitta", que fica mais distante, Casaluce, San Vitino e San Gennà são todas pertinho, pertinho. E sempre vou a cada uma, para o meu estômago fazer "a festa"!.
Além dos presentes da Itália, a Cidade tem muitas obras de grandes artistas italianos como Brecheret, Rollo, etc.
Quanto ao monumento da travessia, ele deu o que falar por causa dos imbecís de plantão que esquecidos da sua significação, viam apenas um monumento fascista.
Festas, monumentos, tudo isso tráz ao presente fragmentos de uma São Paulo que, do fim do século XIX até quase o meio do Século XX era uma cidade italiana que falava no patuá originário dos vários dialetos itálicos. O paulistano ainda fala rápido e cantado. Ainda troca o S-plural pelo i-plural italiano.
Tudo isso é História. História de imigrantes que, aqui, antes de se tornarem brasileiros, se tornaram Paulista e paulistano.
Abração,
Natale

Soninha disse...

Olá,Laer!

Os imigrantes, de todos os cantos do mundo,que vieramao Brasi,ficaram ou simplesmente passaram por Sampa, deixaram sua marca,seus monumentos,seus registros,fazendo de São Paulo ainda mais encantadora...Mostrando o perfil acolhedor de nossa querida Sampa, que mais parece coração de mãe,onde cabe todos.
Muito bacana seu texto,contando um pouquinho da relação italobrasileira e nos lembrando das grandes festas italianas, tão esperadas por todos os paulistanos e os que também moram fora de Sampa.
Valeu, Laer.
Obrigada.
Muita paz!

Laruccia disse...

Este roteiro só pode ser vivenciado por quem aceita, compreende e sente as influências que os italianos deixaram bem gravados na cultura, no idioma, na fala, principalmente dos paulistanos. É preciso entender que, quando alguém menciona que... "este é paulista, ta na cara" é que a infuência do idioma de Dante penetrou fundo nos costumes paulistas, assim como o carióca, carregando o "X" como os franceses, só que nunca os franceses tiveram colonia tão forte como os italianos. É puro "carioquês". Parabéns, Passerini.
Laruccia

LAERTE CARMELLO disse...

LAER: Minhas raízes italianas se
despertaram com sua postagem.
Se Você me permite, quero acrescentar o Edifício e o Terraço Itália, bem como o Palestra Itália, que reforçam muito a relação Brasil/Itália.
Quanto às festas, também quero
acrescentar as quermesses à moda
italiana,nas décadas de 40 e 50, idealizadas e coordenadas
pelo seu Tio Passerini na Igreja Católica da R. do Fico do Ipiranga.
De fato, naqueles tempos, não se
sabia se estávamos na Paulicéia
ou na Itália. Salute!!!

Miguel S. G. Chammas disse...

Laer, li este texto e me senti orgulhoso de terparte do meu sanguelegitimamente napolitano (cata Napole).
Senti-me, tabem esfomeado e com vontade de ir a todas essas festas.
Quem sabe eu consiga ir a algumas.
Obrigado pelo lindo registro histórico.

Conselho Gestor da UBS Veleiros disse...

Belo roteiro. Boas dicas. Parabéns!

MLopomo disse...

Uma boa parte de coisas da cidade que eu convivi, na zona sul, a fonte à la Roma, na Vila Nova Conceição, e Monumento foi feito para homenagear pilotos de hidroavião que voaram da Itália ao Brasil, nos anos 1920, e pousaram na represa Guarapiranga.e um presente de Mussolini na Guarapiranga. E a estatua de Davi, que convivemos por muitos anos no Pacaembu ao final da geral, e que foi retirada do estádio quando da construção do Tobogã.