terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Memórias de um conhecimento


Eu já conhecia e era fã de um autor do site SÃO PAULO MINHA CIDADE que, no meu entender, escrevia de forma vibrante e emocionante diversos textos sobre sua família e seu bairro de origem, o Braz (com z sim senhor!).
Seus comentários em textos de outros autores eram, sempre, encorajadores. Não havia texto ou autor que não houvesse tido um carinho do seu comentário.
Eu, na época, gozando do ostracismo da solidão, lendo seus textos, me incitava a também escrever, escrevia e ficava deslumbrado em ver meus trabalhos serem editados e de receber vários comentários, principalmente desse autor preferido.
Nunca, jamais, em tempo algum imaginei poder um dia conhecê-lo pessoalmente. Não imaginava como seria a sua figura, apenas sabia que gostava muito dele e de seus textos.
Um dia, por conta da enorme quantidade de textos produzidos e publicados pelo site, sou convidado a participar dos preparativos para o evento em comemoração ao lançamento do livro das 1.000 histórias publicadas. Aceitei de imediato.
Não sabia quantos mais iriam participar, sabia apenas que estariam presentes o Mário Lopomo e o Luiz Saidemberg, já meus conhecidos e pioneiros na aventura de criar uma atividade social para os autores do site. A agora famosa “RODADA DE REDONDAS”.
No dia aprazado, fui ao encontro do pessoal do site, liderados à época pela amiga Clara Azevedo. Fui sendo apresentado ao pessoal que também participaria do evento, o Lopomo e o Saidenberg já eram conhecidos; a Neuza Guerreiro, simpática e brincalhona foi a apresentação seguinte. Por último, um pouco afastado do grupo, sentado a uma cadeira, uma figura realmente imponente foi convocada para me ser apresentada. Então, do alto de seus setenta e tantos anos, portando uma alva e branca cabeleira, o Sr. Modesto Laruccia me foi apresentado.
Parece ridículo, mas minhas pernas bambearam ao ver na minha frente o meu autor preferido. Nossas afinidades vieram à tona e, nesse momento, deu-se o início de uma sincera e profunda amizade que perdura até agora, graças a Deus.
Hoje, com profundo conhecimento desse senhor, posso dizer que, apesar dele ser o mais profundo dos mal humorados dos homens da face da terra, o mais ranzinza dos carcamanos conhecidos nesta Sampa de todas as raças, o mais reclamador de todos os autores do site, é a pessoa mais delicada, mais animada e mais querida do grupo de autores participantes das RODADAS DE RENDONDAS COM AUTORES REDONDOS OU NÃO.
Mo, saiba que tenho a honra de poder dizer aos 4 cantos, que sou um felizardo incontestável por gozar de sua amizade.
Ouviu, velho ancião octogenário?
Que Deus, na sua imensa magnitude, te conserve por mais 80 anos em nossa companhia, mesmo que isso venha ser um grande problema para a Myrtes, que terá de te aturar por mais esse tempo todo.
Baccio amicci!

 
Por Miguel Chammas

11 comentários:

Luiz Saidenberg disse...

Bela homenagem, Miguel. De fato, a veneranda figura do Brás(com S, mesmo) já era um velho conhecido, quando o vimos pela primeira vez na SP Turis. E até hoje só nos deu alegrias. Que continue assim.

Soninha disse...

Oieee...

O tipo físico, os cabelos, já marcam nosso querido Modesto.
E, quando conversamos com ele, não tem como não se encantar. Seu timbre de voz e o modo como coloca o assunto, nos envolve.
Seus textos são contagiantes e não queremos parar de ler.
Por tudo isto e muito mais, temos o Modesto em nossa vida e não queremos tirar, nãoé mesmo?!
Valeu!
Muita paz!

Cida disse...

Ahh, Miguel, que linda homenagem! Modesto, "como te gostam..."
Parabéns a ambos

Zeca disse...

.

Miguel!

Mais um dos teus belos textos, desta vez homenageando o "nosso" querido Modesto! Tuas palavras mostram a delicadeza da admiração que ele provoca a todos aqueles que têm a oportunidade de ler seus escritos. E também a simpatia e o carisma que o tornam logo amigo daqueles que têm o prazer e a honra de conhecê-lo pessoalmente.

Abraço

.

Unknown disse...

Miguel,eu também conheci o Modesto,você e outros escritores,na festa do Livro de Memórias. As"famosas redondas",serviram para nos conhecermos melhor, para criar e fortalcer uma amizade,que há de durar para sempre.
Um abração. Bernadete

margarida disse...

Miguel, tive oportunidade de conhecer o Modesto pessoalmente na entrega do livro, mais você e tantos outros autores.Realmente o Modesto foi marcante e merece todas estas homenagens.Um beijo pra vocês.

Lia Beatriz Ferrero Salles Silva disse...

Coisa mais linda este seu texto e quanta verdade você escreveu sôbre
o nosso querido Sr. Modesto.
Escreva sempre Miguel (com esta mesma inspiração) a respeito de todos nós! rs Abraços

suely aparecida schraner disse...

O verdadeiro sentido da frase: "prazer em conhecer". Prazer em lê-lo! Abraço.

Laru disse...

Miguel, estou deveras, encabulado diante de tantos encômios. Vamos falar de mim na terceira pessoa: "Será que ele merece tudo isso? tenho minhas dúvidas, Miguel. Começe a "encher o balão" e ele vai chegar, nas redondas esquecendo sua modestia e botando "banca" pra cima de nós."
Agradeço ao Miguel pelas lembranças daqueles dias e a todos os colegas e amigos que sempre nos prestigiaram com leituras e comentários. Sinto-me orgulhoso e feliz em participar desse grupo. Estou rejuvenecendo, graças a Deus e a todos vcs e a vcs, Sonia e Miguel que permitiram minhas extravagâncias, cedendo esse espaço tão valoroso que é o "Memórias de Sampa".
Grazie i un baccio a tutti.
Laru

Wilson Natale disse...

MIGUEL: Um texto lindo!
Aqui temos as suas impressões sobre o Larù e também a coincidência entre os nossos textos - O nosso amor, amizade e respeito pelo nosso amigo.
Coisa que até agora az dos nossos textos um único e grande texto a homenagear o amigo aniversariante.
Então, que VIVA O LARUCCIA!!!
Abração,
Natale

Falcão do Morro disse...

Miguel são tantas e com tanta qualidade as homenagens ao mestre que sugiro fazermos uma encadernação especial do site com estes textos para dar a ele.
Grande abraço