quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Viva o dia dos Pais



Perdi meu pai muito cedo. Ele morreu em junho de 1945, às 04h00min de lá matina (cedinho, né?); na época eu tinha apenas 6 anos e meio.
Naquele tempo os pais ainda não possuíam um dia... O dia dos pais era mesmo todos os dias.
Meu nome, Arthur, eu herdei de meu pai que também era Arthur e graças a esse fato, até hoje lá em casa eu sou simplesmente Tutu.
Meu pai já era escolado na arte de ser papai, pois o mesmo já era viúvo, com sessenta anos nas costas e possuía seis filhos ao se casar com mamãe.
Então, já meio cansado, ou então, já aposentado, querendo apenas dormir ao lado de minha mãe, que tinha só vinte sete anos e ainda não estava muito madura, produziu só mais três filhos, dos quais eu sou o caçula.
Às vezes me lembro dele, passeando e me dando sua mão. E assim, de mãozinhas dadas, fazíamos as caminhadas pelas ruas da Freguesia.
Meu pai era marceneiro, pedreiro, eletricista, encanador, fazia de tudo um pouco e era um grande artista como encadernador, profissão que exerceu com arte e nela se aposentou.
Infelizmente, com meu pai muito pouco convivi; só sei que ele era bom, carinhoso, culto, educado, não dizia palavrões, não tinha vícios e sua única fraqueza, digo aqui com toda a franqueza, era tomar, como aperitivo, um cálice de boa pinga antes do almoço, à mesa.
E assim, em 1945, quase ao final da Segunda Guerra, meu pai se foi dessa terra, aos setenta e sete anos.
Pouco com ele eu vivi, mas muito com ele aprendi.
Assim, paizinho querido, que de minha memória não sai, presto-lhe essa homenagem nesse dia de todos os Pais.
 

Arthur Miranda (tutu)

7 comentários:

Luiz Saidenberg disse...

Bela homenagem, Tutu. Caramba, vc perdeu o pai realmente cedo, mas tão pouca convivência assim mesmo deve tê-lo marcado profundamente. Abraços.

Soninha disse...

Olá, Arthur!

Nunca esquecemos de nossos pais, estes seres amados e que nos deram a oportunidade da vida e nos receberam em seus lares com todo amor e carinho.
Não importa a idade...Pais são pais e pronto.
Também tenho imensa saudade de meu amado paizinho, que se foi em janeiro de 1990.
Valeu, Tutu!
Obrigada.
Feliz dia dos pais!
Muita paz!

Miguel S. G. Chammas disse...

Arthur, mesmo tendo tido pouco tempo de convivencia, teu pai conseguiu te passar bons exemplos e moldarseu caráter. Maravilha!

Modesto disse...

Parabéns, Tutu, mesmo com exiguo tempo de convivência com seu pai, a força desse enlevo deixou marcas, pra nunca mai esquece-lo. Parabéns, Arthur.
Modesto

suely aparecida schraner disse...

Bacana,Arthur! Esse pai deixou sua marca e um filho talentoso. Abraço.

Zeca disse...

Arthur!

Parabéns pela bela e comovente homenagem a um pai que se foi tão cedo mas, em tão pouco tempo de convívio, conseguiu imprimir sua marca e deixar, como um selo, nome e sobrenome como a melhor das heranças.

FELIZ DIA DOS PAIS!

Abraço.

Wilsonnatale disse...

Beleza, Arthur!
Você teve um pai!
Crianças são puras e instintivas.e pela sua narrativa, foi amor à primeira vista.
Amor que dura até hoje.
Valeu pela palavras reveladoras de muita ternura em relação a seu pai.
De certa maneira ele não ficou muito tempo com você. Está com você até hoje
Abração,
Natale