segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Até breve, minha Mãe

Virginia Siquelli de Assis
(20.03.1929 - 09.10.2011)

Por que será que as mães são essas criaturas tão especiais? Talvez porque elas tenham características muito especiais.
Eu poderia ficar horas e horas falando sobre todas as qualidades das mães, sobre sua capacidade de renúncia e sobre o amor incondicional que elas têm por seus filhos. Mas, não vou.
Quero falar, apenas, sobre a saudade que os filhos sentem de suas mães... Mesmo quando elas estão presentes, mas, acima de tudo, quando elas estão ausentes... Quando já tiveram de voltar à Pátria Celeste, através da desencarnação... Quando elas deixam esta dor em nosso peito, pela saudade crescente, pela vontade de ouvir sua voz, de olhar seu rosto, de sentir sua presença, o calor de seu abraço, a proteção de suas mãos...
Vêm na mente, as cenas da infância... De nossa casa simples, na Rua Umuarama; das brincadeiras de criança; das festas de família; do cheiro das comidas; das broncas; dos castigos; dos lençóis; dos perigos; dos socorros; da voz; do ralhar; das canções; da primeira menstruação; dos bailinhos; dos namorados escondidos e aceitos com sua benção...
Onde foi parar o mundo do faz de conta, os castelos dourados, as fadas?
Eu cresci e não houve outro jeito...
Senti tanto sua falta, mãe... Queria você mais presente em minha vida. Mas, talvez, exigi demais.
Hoje entendo que não podemos exigir além do que as pessoas podem oferecer... E também entendo que era o que você podia oferecer... Era o tamanho de seu amor e o seu jeito de dizer e demonstrar.
Também entendo, hoje, que para o coração e para a alma compreenderem, não precisa dizer nada... A linguagem é outra.
Entendi que você também era especial, do seu jeito. Jeito seu de mostrar sua força, para cumprir sua missão de ser mãe.
É. Chegou o momento de você voltar lá pra mais perto de Deus.
Elevo minha prece, para que Jesus a receba, minha mãe, com as mais belas flores dos jardins celestiais e que lhe dê forças para prosseguir no trabalho que ainda está por vir.
Que você tenha um despertar bem tranquilo e serenidade para compreender os dois lados da vida.
Sou-lhe grata, minha mãe, pela oportunidade da vida. Um dia você me recebeu em seu seio e me deu a luz da vida... Sou eternamente agradecida.
Fique em paz, Mãe! Até breve.
Eu te amo. Muita paz!

Por Sonia Astrauskas

16 comentários:

Anônimo disse...

Meus sentimentos Soninha!!
Força!!

Ass: Stephanie

crisangeloe um dia nossos filhos disse...

nossa que lindo testo!!!a minha mae já desencarnou a 16 anos,e ainda sinto tudo isto,e um dia nossos filhos sentiram tambem ,e nos estaremos reencontrando as nossas queridas do outro lado.....assim é a vida.força

Luiz Saidenberg disse...

Nossos sentimentos, Soninha.
Pela filha sabe-se que foi uma grande mãe. Força, coragem e saúde.
Abraços. Luiz e Márcia.

Anônimo disse...

É amiga Soninha, sei exatamente o tamanho da dor, passei por tudo isso recente e ainda dói demais.Mas apesar de tudo, do choro, do vazio, da saudade ser grande, nos resta os ensinamentos de paz, a sabedoria, e a vivência de cada momento de nossas vidas, e a certeza de que tudo continua... em outro canto do Universo.
Paz e tranquilidade para todos da família!
Fica bem! Beijos

Rosangela (Ro)

Wilsonnatale disse...

Soninha: Muita paz e equilíbrio.
Minhas vibrações de amor fraterno e a energia da minha certeza na vida após a vida. E a certeza de um reencontro.
As famílias não são unidas nesse mundo, você sabe.
Vibrações de paz, equilíbrio à sua mãe.Que ela se recupere em breve e siga feliz em novas tarefas de aprendizado.
Abração,
Natale

Miguel S. G. Chammas disse...

Por que será que as mães são essas criaturas especiais?
Amor, quem mais se não você para responder, e muito bem a esse questionamento.
Você que é a mãe que todo filho gostaria de ter. Zelosa, prestimosa, preocupada, benevolente, complacente, condescendente, cúmplice, sofredora, companheira, caridosa e, perdoe-me, mas me faltam adjetivos para continuar te descrevendo.
Pois bem, para ser tudo isso, você teve, antes, de ser boa filha, e eu sei que foi, e teve também de ter tido ua boa mãe. Hoje tive de te acompanhar no ultimo adeus à tua mãe e sofri duas, vezes. Sofri por tua dor e sofri ao lembrar-me do adeus à minha velhinha, que ganhou, do papai-noel, como presente de Natal o retorno à espiritualidade.
Coragem amor!A dor é grande, a saudades é interminável, mas a certeza que com Deus ela estará ganhando a paz e podendo olhar por você e por suas irmãs, será teu lenitivo!
Eu te amo e te respeito muito.

Arthur Miranda disse...

Sonia, Mãe é tão importante, mas tão importante, que até o nosso bom Deus, deu um jeito de precisar também de uma. Assim nasceu Jesus de sua Mãe Maria.

Soninha disse...

Obrigada,amados amigos!

Muito me conforta estas expressões de solidariedade e carinho.
Que Deus os abençoe!
Quem tem Jesus no coração nunca está só...e quem tem amigos jamais padecerá de tristeza.
Muito obrigado, do fundo de meu coração!
Beijo-lhes a alma.
Muita paz!

Mayara de Castro disse...

Sonia, me solidarizo com vc nesse momento de dor, mas ao mesmo tempo me regozijo com vc por poder extravasar todo esse amor que a sua mãezinha soube cultivar em vc e que vc expressa tão bem neste lindo texto! Que Deus a embale nessa nova etapa de sua existência no céu! Beijo no coração,

joaquim ignacio disse...

Sonia, força, coragem. Fechou-se um ciclo e você deve continuar vivendo, embora a dorsaudade faça parecer que o mundo tenha acabado.

Nosso sentimento e compreensão
Odete e Ignacio

Laruccia disse...

Bem, Soninha querida, tudo o que trago no meu coração, é muito pouco pra aliviar a dor da perda de sua mãe. Equipare o que é a mãe pra todos nós. Uma área de terra a ser cultivada, passa o semeador, deixa sua semente, vai embora e só aparece na colheita pra saber como foi todos os 9 meses. Não que seja totalmente desinteressado, teve sua mãe e é um ser humano, dedicado e ótimo esposo. Mas, não é mãe. Tive a minha, falecida há quase 30 anos a ainda sinto falta dela. Espero que sua mãe esteja na graça de Deus, abençoando e protegendo todos vcs. Receba meus profundos sentimentos de pesames pela passagem da sra. sua mãe, repousando, com certeza e como ela merece, na paz do Senhor. Amem.
Laruccia

Leonello Tesser (Nelinho) disse...

Soninha, abro o site a vejo esse lindo texto que você escreve em homenagem à sua querida progenitora, envio os meus pêsames pela irreparável perda, que Deus a tenha em seu reino, abraços, Leonello Tesser (Nelinho).

suely aparecida schraner disse...

Pois é Soninha, é através dos filhos que as mães deixam sua marca no mundo. E a sua presnça marcante revigora este espaço.Adorei seu texto. Bela homenagem! Abraços e paz, sempre!

margarida disse...

Sonia, aqui choramos com as perdas dos nossos entes queridos, mas o céu faz festa quando uma alma volta a casa do Pai. Ela se foi e tenha certeza que nunca irá esquecê-la por mais que o tempo passe. Mãe são almas especiais, são nossos anjos, nossos tesouros, nosso bem maior. Muita paz pra você e um grande beijo.

Zeca disse...

. Sonia,

meus sinceros e profundos sentimentos pela "perda" de sua mãe.

Não avalio o tamanho dessa dor por ainda ter a minha, mas imagino, pois à simples idéia de que um dia a minha mãe também retornará à Pátria Celestial, sinto uma tristeza profunda e sem possibilidade de medição.

Neste texto você colocou o seu coração e nós pudemos sentir o amor filial ali depositado. Que sua mãezinha tenha um sereno despertar e que logo esteja pronta para continuar velando por você. E por todos os seus.

Um grande abraço, com todo o meu carinho.

Anônimo disse...

Tudo é pouco quando falamos sôbre
a "nossa mãe"!
Meus sentimentos, Soninha! Lia