segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O Sobrevivente


1974. Vivíamos já há dez anos sob a tutela do regime militar instalado no Brasil em 1964. Depois da queda do presidente João Goulart (Jango) que como vice-presidente, havia assumido o poder depois da renúncia do recém eleito Presidente, Jânio da Silva Quadros. A Censura Federal, então, passou a fazer parte dos programas da televisão, das peças teatrais e da imprensa falada e escrita da mídia nacional.
Vivíamos ainda o chamado “milagre brasileiro”, éramos infelizes e a maioria fingia que não sabia. Afinal de contas, o Brasil era Tri Campeão Mundial e o livro “Brasil Nunca Mais” ainda estava sendo escrito pelos seus personagens nos porões dos cárceres da “nossa” ditadura.
O Programa Silvio Santos com seus picos de 75 pontos no IBOPE ia ao ar pela Rede Globo, Canal 5, São Paulo, nas tardes de Domingo, seguido do programa do Chacrinha, fechando o fim de tarde e o início da noite Global.
Eu participava de dois programas humorísticos da TV Tupi paulista: Deu a Louca no Show, dirigido pelo saudoso Paulo Celestino (já falecido) e Agência LIG-PAG, dirigido pelo Wilton Franco.
No intervalo da gravação de um dos programas acima mencionados, reunidos no corredor de acesso ao estúdio, nós aguardávamos o reinício das gravações, no maior bate papo, recheados de momentos hilariantes de humor e imitações improvisadas, sem a tutela da irritante censura que éramos submetidos nos textos oficiais a serem gravados.
Nesse dia, me lembro da participação de alguns colegas como o Gilberto Fernandes (Gibe, já falecido), Vianna Junior (falecido), Rony Cócegas (falecido), Roberto Ronney (falecido), Ankito (falecido) Marcos Plonka (falecido), Ary Leite (falecido), Roberto Marquiz (Teobaldo), Clayton Silva, e outros que não me lembro agora e nem sei se ainda estão nesse nosso mundo.
Havia muita alegria, risos então eram intensos, quando um dos redatores dos textos do programa e também um dos responsáveis pela minha carreira artística, vendo aquela bagunça, resolveu brincar com o grupo e, dirigindo-se ao grupo disse:
- É pessoal! Aqui, fora do ar, vocês agradam muito... Quero ver vocês agradarem assim quando estiverem em cena.
- E na hora, como que combinado, ouviu como resposta de um coral ensaiado, no meio de muitas gargalhadas:
- Aqui a gente agrada muito por que, aqui, o texto tem qualidade; é todo de nossa autoria. Foi uma gozação só até o término das gravações, fazendo todos esquecerem que já fazia dois meses que ninguém recebia o salário.

Em tempo:

O título dessa narrativa seria: Histórias da Minha Vida, porém, ao chegar ao final e notar o número de ex colegas agora já falecidos, percebi que, além de ser um dos presentes, eu também sou um dos poucos SOBREVIVENTES.

Obrigado Senhor,
por deixar gentilmente eu ficar por aqui,
seguindo a minha trilha.
Pois, nessa mudança de vida
Quero muito ser ultimo da fila.

Por Arthur Miranda (tutu)

18 comentários:

Miguel S. G. Chammas disse...

Tutu, também eu fui dirigido por Wilton Franco, na Excelsior gravávamos o Noites Cariocas, a Vila dos D'Avilas, Moacyr Franco Show e José Vasconcellos conta a História do Brasil.
Foram noites inesquecíveis.
Agora, com relação à tua sobrevivência, vc fica proibido de pensar em desaparecimento. Nós precisamos de você por aqui por muitos anos ainda.

Soninha disse...

Olá, Arthur!

Mais umapassagem da vida do artista... Longe da censura,com certeza os artistas se abriam mais e se sentiam mais a vontade, né!
No ar, em frente as câmeras ou ao público, junto com a arte vem a ética, claro, sem deixar fluir o melhor de cada um.
Bacana conhecer os bastidores de sua vida artística, Tutu.
Valeu!
Obrigada.
Muita paz!

Wilsonnatale disse...

Arthur: O novo Nérso da comédia.
Sabe o fulano, fulano, foulano? Mor-rreuuu!!! Risos.
Como dizia o meu nonno, uns morrem cedo, outros morrem tarde e outros ainda, já vão tarde!
Felizes daqueles que se vão e deixam saudades. Pois eles revivem nas lembranças e nos textos, como este seu.
Um texto ótimo sobre a história da TV, e que fica melhor com as suas memórias sobre os bastidores da TV.
Abração,
Natale

ESTANISLAU disse...

Arthur, como é bom ler seus "causos", como se aprende com suas memórias e também relembramos de outros fatos antigos, que como não somos do meio artistico , acabamos esquecendo, por isso louve-se esse site também que nos atualiza a cada história, parabéns.

Zeca disse...

.

Arthur!

Só vale mesmo um muito obrigado por nos presentear com essas histórias que, sendo parte da sua vida, também o são das nossas que acompanhávamos (e ainda acompanhamos) tudo pelo outro lado da telinha, sem saber dos salários atrasados e dos outros dramas vividos pelos seres humanos que encarnavam os personagens que nos fariam rir e pensar. Quantas alegrias nos proporcionaram os artistas que se foram e também os SOBREVIVENTES que ainda têm o desprendimento de dividir conosco, os fãs, suas memórias.

Abraço.

.

Modesto disse...

Tutu, querido amigo de todas as horas. Falar de morte perto de mim é o mesmo que riscar um fósforo ao lado de bomba de gazolina. Não adiante vc "chamar" pra si, vc não vai na minha frente, podes crer. Os artista tem proteção extra. Só os VERDADEIROS ARTISTAS e como vc está incluido nesse grupo, fique tranquilo. Gostei muito da sua narrativa, fiquei com medo que vc fosse falar: "Arthur", falecido. Parabéns, Tutu.
Modesto

Luiz Saidenberg disse...

Bela lembrança, Tutu.
O Humor nos Tempos da Cólera...
era muito bom poder desafogar nos bastidores, sem a sombra negra da censura.
Quanto à sobrevivência, quem sabe, como artista que é, vc imita o Dr. Morrone. Aos 93 anos, vivo e lampeiro...e fazendo piada !Abraços.

Arthur Miranda disse...

Lamento informar que faleceu hoje as 23 horas, no Hospital da Unimed de Lorena o companheiro Arthur Miranda, cujo corpo sera cremado amanhã dia 28-09 as 10horas no Crematório de São José dos Campos.
Lorena 27 de Setembro de 2.039.
Arthur Miranda * 27/12/1938
+ 28/10/2039 s/juros

Noticias para um futuro longínquo.
espero mas não sentado

Miguel S. G. Chammas disse...

Tutu, mais um susto destes e eu te mato de VERDADE.
LEMBRE-SE QUE JÁ NÃO TENHO IDADE PARA TAIS SOBRESSALTOS.
PQP

Wilsonnatale disse...

PÔ,Arthur! Vc é um desmancha prazeres! Estava lendo a notícia e já planejando a compra e tempêro das carnes para quando fosse ai, aproveitar o forno e fazer um churrasqueto...Brincadeira demais de mau-gosto, sô!...
Ahahahahaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!
Tutu Dercy Gonçalves:Tu vai prá mais de 100!
Abração,
Natale

joaquim ignacio disse...

Arthur, o Miguel, o Natale e quem mais leu seu necrotário (necrológio + comentário), eu inclusive, se assustou. Num brinca, meu!
Ignacio

Soninha disse...

Perdão,massss PQP....que sustooooooooo!
Arthur, você não tem noção do susto e da comoção que nos causou!!! Nossa!!!
Ainda estou sentindo meus batimentos cardíacos na garganta, boca,língua...tudo adormecido aqui...kkkkkkkk
Deus me livre!
Ôôôô Tutu...isso não se faz! Credo!
Afff!
Muita paz!

Arthur Miranda - Tutu disse...

Perdão gente foi algo cheio de Humor Afro-descendente. Lamento,mas eu não imaginei que causaria tanto transtorno assim,pois o próprio comentário, já revelava que a coisa toda era para o futuro, isto é em 2039. E agora vocês me deixaram com a consciência pesada. Me desculpem

Miguel S. G. Chammas disse...

Pois é, a data foi colocada, não sei se propositalmente, no fim do texto, e o habitual é ler desde o começo...SW´[o vou te perdoardepois do terceiro pedaço de pizza lá no Bruno.

Leonello Tesser (Nelinho) disse...

Tutu, voce consegue com raro brilho relatar fatos de sua vitoriosa carreira artística, quanto ao seu "necrológio" eu acho que pode ser prorrogado para o ano de 3059, parabéns pelo texto, abraços, Nelinho.-

margarida disse...

Tutu, você artista, que bacana!Nossa hora de partir só Deus sabe, o mais importante é viver como se fosse para sempre. Maravilhoso seu texto.Um grande beijo.

Suely Aparecida Schraner disse...

E ainda este obituário. Parabéns.Belo texto!

Zeca Tavares disse...

Vai toma no seu rabu!!!!!!!sou cardíaco porra!!!!!isso mata veinho.O NOTIÇA RUIM😈