terça-feira, 20 de setembro de 2011

Meus tempos de paulistano


Eu, Luiz Gonzaga Sant'ana, hoje aposentado, moro em minha terra natal que é Descalvado, SP, também tive os meus dias de paulistano.
No início, viemos de Araraquara para o bairro do Jaraguá. Moramos lá por oito anos e meio, depois nosso saudoso pai comprou uma casa em Pirituba, lá na Vila Zatt.
Minha família está esparramada na região, uns no Jaraguá, outros em Pirituba.
Agradeço a todos os paulistanos que nos acolheram quando aí chegamos.
O meu pai trabalhou e se aposentou como funcionário público estadual, graças a Deus e a Jânio da Silva Quadros, então na época governador do estado e da sua Senhora Primeira Dama do Estado, Dona Eloá.
Eu trabalhei como jornaleiro na Rua Catão, no bairro da Lapa, depois fui trabalhar no Bom Retiro, no setor calçadista.
Na época em que aí morei, havia muita diversão, como por exemplo: cinema, Parque do Ibirapuera, pico do Jaraguá, Horto Florestal, futebol no Pacaembu, tempos de futebol arte, com Canhoteiro, Cláudio Cristovão, Luizinho, Zizinho, Julinho, Mauro, Waldemar Fiúme, Djalma Santos, Pelé, o maior jogador de todos os tempos, juntamente com Garrincha, outro gênio e por aí vai. Eu vivi essa era, graças Deus.
Eu tenho orgulho de ser um bom tempo um cidadão paulistano.
Aqui vai o meu abraço a todos os paulistanos.


Por Luiz Gonzaga Sant'ana

10 comentários:

Miguel S. G. Chammas disse...

Luiz Gonzaga, depois desta declaração de amor quem há de dizer que não és paulistano?
Boas vindas, apareça sempre.

Modesto disse...

Gonzaga, com esta manifestação de amor por São Paulo, vc está automaticamente promovido a Cidadão Paulistano. Ao contrário dos políticos que distribuem estas comendas a quem nem merecem ser considerados brasileiro, quanto mais Paulistano, vc tem, de todos nós o agradecimento do fundo do coração. Parabéns, Luiz.
Modesto

Soninha disse...

Olá, Luiz!

Seja bem vindo entre nós!
Que alegria poder ter seu texto, aqui no blog.
Esperamos ter muitos outros mais.
Quantospaulistas, assim como você e sua família, vem para a cidade de São Paulo para trabalhar ese apaixonam por ela... Acabam ficando e fazendo de nossa Sampa, a sua morada.
Adorei saber um pouquinho sobre sua família.
Obrigada.
Muia paz!

Luiz Saidenberg disse...

Benvindo, Xará. Em todo mundo que morou aqui resta algo de paulistanice, pois não há, nem fumo, nem álcool, vício mais difícil de desligar do que a adrenalina dos tempos de paulistanidade. Abraços.

Zeca disse...

Olá, Luiz Gonzaga!

São sempre bem vindos os relatos das experiências vividas em "nossa" cidade, já que muitos de nós, como você e eu, aqui não nascemos, mas para cá viemos e por esta cidade nos apaixonamos.
Não moro mais em São Paulo há vinte e um anos, mas pelos meus pais que ainda residem no Bixiga, continuo visitando a cidade, pelo menos uma vez por mes.

Parabéns pelo texto.

Abraço.

Wilsonnatale disse...

Luiz, bem vindo!
São Paulo sempre nos adota a todos. E fica mais gostoso ainda, quando nós adotamos São Paulo. Então, viramos Paulistano.
Boas lembranças as suas! A visão de uma cidade de outros tempos: modo de vida, futebol, trabalho e a lembrança do Pico do Jaraguá, onde todos íamos, apenas para passear, ou fazer pic-nic e viver a natureza. Coisa que hoje, nestes tempos corridos, raramente se faz.
Abação,

Natale

margarida disse...

Luiz, no coração de São Paulo sempre cabe mais um, principalmente você que aprendeu a gostar desta cidade.Ela é que agradece por este filho trabalhador que soube lhe dar valor e respeito.Bom conhecer um pedacinho de sua vida. Um abraço.

Anônimo disse...

Seja bem-vindo Luiz. estamos todos felizes com a sua chegada. parabéns.

Anônimo disse...

Esse anônimo sou eu,Arthur Miranda não consegui entrar com o meu nome.

suely aparecida schraner disse...

Bem-vindo e assim como Sampa o Memórias é como coração de mãe. Acolhe e incentiva. Valeu!