sábado, 5 de novembro de 2011

No Ipiranga, proibido para menores

Na década de 50, aqui no Ipiranga existiam alguns lugares proibidos para menores de 18 anos.
Na Estrada das Lágrimas havia uma casa conhecida como "Casa da Sinhá"; em São João Clímaco havia dois locais, um eu não me lembro o nome, mas o outro era chamado de Castelinho;  na Via Anchieta havia um cabaret de nome "Mito" (ficava onde hoje está situado o Colégio Regina Mundi);  no Sacomã ficava o Restaurante Paladar.
Não é preciso repetir o que nós, no início da puberdade, sentíamos quando os mais velhos contavam as suas aventuras vividas nesses locais; eu mesmo somente consegui conhecer o "Mito" já quase nos seus últimos dias, graças a um expediente pouco recomendável: um amigo conseguiu adulterar o ano do meu nascimento em uma carteira de escola, onde constava 1935 ele conseguiu transformar em 1933.
Naquele tempo não havia esferográfica e as carteiras eram preenchidas com caneta tinteiro, com um palito e algodão ele fez uma espécie de pincel e, molhando em amoníaco, apagou a parte superior do número 5, depois com uma caneta comum, molhou a pena no vidro de tinta azul e transformou  "3". Logo depois a carteira foi apreendida pela secretaria da escola, pois o funcionário estranhou a minha idade.
O porteiro do cabaret não foi capaz de reconhecer a alteração pois a pouca iluminação da rua dificultava a leitura do documento.- Bons tempos aqueles!

Por Leonello Tesser (Nelinho).

10 comentários:

Luiz Saidenberg disse...

A luz do cabaré já se apagou...é hora de chorar e de sorrir!( acho que é assim o tango de Angela Maria ). Bons tempos de cabarés e damas da noite charmosas, Nelinho! Abraços.

Zeca disse...

.

Nelinho!

Gostosas lembranças, essas, de um tempo em que nossas maiores preocupações eram conhecer os "castelinhos" para descobrir o que eles tinham de tão bom, que nos parecia mais coisa da imaginação dos amigos mais velhos...
Eu também fui ao primeiro, usando o mesmo expediente; só que, quem adulterou a minha carteirinha do ginásio, fui em mesmo. E depois, pedi uma 2ª via na secretaria, alegando tê-la perdido... hehehe.
Abraços.
.

joaquim ignacio disse...

Nelinho, bom dia.
Meu Deus! quanta malandragem...naqueles longínquos tempos nossos hormônios ferviam na razão direta de nossa inocência, lembro-me bem. Nos dias de hoje tomaríamos aulas dessa garotada não tão incente quanto éramos.
Abraço do Ignacio

Luigy- Luiz Carlos Marquesa disse...

Pois é faltou mencionar uma tal de Casa do Sargento nos baixos do Pque d. Pedro
Boas lembranças
Luigy

Wilsonnatale disse...

Muito bom, Nello!
Certas coisas, melhor esquecer... Já pensou as freirinhas do Regina Mundi contando que alí fora o "Mito"? Ahahahahaaaa!
No meu tempo, no Sacomã, existiam certas "casinhas", conhecidas como "a casa di Irene" e os velhos jardins do museu... Que festa!
Valeu a lembrança!
Abração,
Natale

Soninha disse...

Olá, Nelinho!

Boas lembranças!
Claro que eu, em minha mocidade, jamais frequentei um mambiente destes... Mas, lembro-me quando nossos amigos nos contavam que frequentavam boates e inferninhos e as meninas ficavam muito curiosas sobre o que acontecia lá dentro... Eles riam e nunca contavam sobre seus segredos...rss
Valeu!
Muita paz!

margarida disse...

Nelinho e suas traquinagens!Que danadinho este menino adulterando seu documento escolar. No meu tempo eu nem sabia que isso existia, só fui saber mais tarde quando namorava meu marido.Aí a curiosidade veio a tona e claro queria saber como era.Um grande abraço, meu amigo.

Arthur Miranda disse...

Nelinho, Como coroinha, Cruzada Eucarística, Congregado Mariano (Menor) e dos 14 aos 17 anos seminário Diocesano Menor, eu nunca pensei em frequentar as tais casas noturnas, e lugares proibidos, só fui conhece-las bem mais tarde aos 27anos e assim mesmo como Artista fazendo shows.
Parabéns Nelinho pela narrativa.

Miguel S. G. Chammas disse...

Nelinho é sempre bom te ler e conheder histórias do Ipiranga.

Laruccia disse...

"Giorni, senza domani, il dissiderio... di te.
A Casa d'Irene si canta, si ride, a casa d'Irene sta sera si va..."

Tempinho bom, Nelinho e vc tem todos os endereços, ainda...? não me diga que... ahnnn, bom, só pra entregar os carros do estacionados, né?
Reliquia das boas, Nelinho, parabéns.
Laru