quinta-feira, 3 de novembro de 2011

A noiva da festa junina

Morei na região de Vila Hamburguesa, que hoje se encontra incorporada à Vila Leopoldina.
Recordo-me que por volta de 1963, todos que moravam nos arredores ficaram contentes com a vinda da famosa caravana do “Peru que Fala”, do famoso Silvio Santos, para um terreno extenso que existia na esquina da Rua Nanuque com a Rua Schilling. Silvio Santos realizava seus shows com farta distribuição de prêmios, o que fazia a felicidade de todos!
Neste terreno também se instalavam circos e parques de diversões, com suas barraquinhas de quermesse. E lá íamos a passear com as amigas, esperando sermos contempladas com as músicas que saiam dos alto-falantes, que seria dedicada a algumas das moças, por alguém pelo qual batia mais forte nossos corações juvenis.
No mês de Junho, os três Santos também eram homenageados com as ditas festas juninas. Montavam-se barracas de brinquedos e jogos inocentes, regados com muita pipoca. Formava-se, então, a quadrilha, com os noivos que chegavam em uma carroça enfeitada com flores. O padre realizava o casamento, com encenação, como mandava o figurino (termo antigo).
O pai da noiva, sempre munido de sua espingarda, obrigava o noivo a aceitar a noiva, e em seguida saiam a desfilar pelas ruas ao redor. Na volta, todos dançavam ao som da música caipira, que ainda hoje é tocada nestas festas.
Infelizmente, nunca fui escolhida para ser a noiva, o que era uma satisfação para as escolhidas, já que se tornavam as participantes principais da festa.

Por Maria Thereza Marangoni

8 comentários:

Miguel S. G. Chammas disse...

Memórias de nossa juventude que marcaram nossas vidas e nunca mais serão esquecidas.
Gostei do que li. Parabéns.

Soninha disse...

Olá, Thereza!

Seja bem vinda entre nós!
Festas Juninas...Nossa!Que saudade!
Sabe? Fui noivinha da quadrilha por duas vezes...
Uma na época da escola primária e outra já no ginásio.
Em minha época, as escolas promoviam as festas juninas...As famílias compareciam, as crianças se divertiam muito...sempre tinha a dança da quadrilha que era o ponto máximo da festa.
Muito legal!
Saudade!
Valeu, Thereza!
Obrigada.
Muita paz!

Zeca disse...

.

Maria Thereza!

Seu texto me trouxe à memória as festas juninas da minha adolescência, que eram realizadas na praça defronte à igreja que eu frequentava. Eu era o locutor da festa, aquele que apresentava as múxicas e lia as mensagens que os apaixonados dedicavam às suas namoradas. Mas era também, na apresentação da quadrilha, ou o noivo, ou o padre. E me envolví tanto com a quadrilha da quermesse, que acabei criando um grupo no ginásio, onde eu era sempre o apresentador, aquele que ia "cantando" os passos dos dançarinos e, geralmente, vestido de padre, que era o celebrante do casamento com direito a cadeia para o noivo fujão, espingarda nas mãos do pai da noiva e a torcida dos participantes. Bons tempos! Belas lembranças!
Obrigado por me proporcionar esse retorno a um tempo delicioso da minha vida!
Abraço.

.

Modesto disse...

Maria, sua linda crônica, singela e bem "nossa", lembra as grandes festas juninas que estavamos acostumados a participar. Vc troxe recordações saborosas daquela época. Parabéns.
Modesto

Wilsonnatale disse...

Maria Thereza: Seja bem-vinda!
Um terreno baldio, mas tão cheio de lembranças, não é mesmo?
E as festas juninas. Quem não se encantou e se divertiu com elas! Pena que elas perderam a simplicidade que as fazia grande.
Texto ótimo!
Abração,
Natale

Arthur Miranda disse...

Maria, sempre é muito bom recordar momentos felizes como esse que você narra tão bem aqui e que vivemos no passado, porem sem nunca esquecermos da nossa felicidade, por vivermos esse nosso presente do moderno de hoje em dia. Parabéns.

marcia ovando disse...

AH Thereza, mas uma vantagem vc teve : podia dançar com muitos meninos, enquanto a noiva ...só com o noivo!

margarida disse...

Thereza, participei de muitas quadrilhas e nunca fui a noiva, mas me arrumava como se fosse, com meu vestido de chita enfeitado de florão.Participar destas festas sempre foi um grande prazer, que tempinho bom! Parabéns e seja bem vinda!Um grande abraço.