sábado, 11 de junho de 2011

Coisas que gosto de fazer em São Paulo - parte V


Já falei sobre o Mercadão e seus sabores, sobre os bares e restaurantes e suas delícias e também sobre passeios culturais que gosto de fazer pela cidade. Mas São Paulo não se resume a isso. A maior metrópole da América Latina e uma das maiores do mundo nos oferece infinitas variedades de passeios e divertimentos.
A cidade possui praças e parques, entre os quais destaco alguns, sem qualquer demérito para outros não esquecidos, apenas não relacionados aqui. O Parque do Ibirapuera é um dos meus prediletos, pois, ali, posso apenas levar um livro para ler sob a sombra de suas árvores, como passear pelos seus caminhos, só ou acompanhado, num gostoso bate-papo. Outros que não frequento com a assiduidade que gostaria, mas que me agradam muito também são: o Parque da Aclimação, belo e acolhedor, assim como me sinto bem também sob a exuberante vegetação do Parque Trianon, este em frente ao MASP, na Avenida Paulista e, ainda, o Parque da Luz, que sei ter sido reurbanizado recentemente, mas que ainda não tive o prazer de conferir.
Praças como a da República, no Centro, e a Buenos Aires, em Higienópolis, são belas em seu traçado e vegetação, embora ultimamente não possam ser consideradas muito bem frequentadas. Principalmente a da República, praticamente tomada por pessoas do chamado submundo paulistano.
Um passeio que gosto muito de fazer, há muitos anos e considero imperdível, é unir o útil ao agradável, assistindo ao “show” de canto gregoriano, acompanhado de um dos órgãos mais prestigiados do mundo, oferecido pelos padres do Mosteiro de São Bento, aos domingos, às onze da manhã. Depois, com o coração mais leve, dar um passeio pelo centrão da cidade, aproveitando para conferir a imensidão do Vale do Anhangabaú, vista de cima do Viaduto do Chá.
Ainda no centro, vale à pena dar uma conferida na programação do Centro Cultural Banco do Brasil, na Rua Álvares Penteado. Ali pertinho também tem o antigo prédio histórico dos Correios e Telégrafos, no Vale do Anhangabaú, hoje transformado em Centro Cultural.
Aos domingos, também acontece no bairro da Liberdade, ao lado do Metrô Liberdade, uma animada feirinha, que nos permite sentir como se estivéssemos num pedacinho do Japão. As barracas de comidas da “Feirinha da Liberdade” também são famosas, pelos quitutes que oferecem a preços razoáveis.
Já falei sobre os cinemas da cidade, no texto anterior, mas um passeio que gosto bastante de fazer é pegar um cineminha no Espaço Unibanco, na Rua Augusta, próximo à Avenida Paulista e ao Metrô Consolação. Lá sempre encontro bons filmes e, por esse motivo, é um dos redutos dos cinéfilos paulistanos.
Estando próximo ao Metrô Consolação, sempre vale à pena visitar as lojas da Livraria Cultura, para mim as melhores da cidade, no Conjunto Nacional. E, para não ser injusto, não posso deixar de mencionar a gigantesca loja da FNAC, na Avenida Pedroso de Moraes, onde costumo passar tardes inteiras ouvindo CDs e folheando (e comprando) livros.
Para quem, como eu, que passou boa parte da vida no Bexiga, nada melhor do que ir a um ensaio da Escola de Samba Vai Vai, na Praça 14 Bis. É um programão, especialmente se puder estar na companhia de um animado grupo de bons amigos.

Zeca Paes Guedes

7 comentários:

Wilsonnatale disse...

ZECA: Este, realmente é um ótimo roteiro. O meu inclui ficar horas me divertindo na Livraria Cultura, da Av. Paulista. E continuo passeando pelo Jardim da Luz, pelo Largo do Arouche e, claro pela Praça da República. Esses logradouros ainda me encantam.
Abração,
Natale

Miguel S. G. Chammas disse...

Zecamigaço, os pontos destacados em teu texto são tudo de bom.com na nossa Sampa.
Excelntes indicações que devem ser aproveitadas porquem tiver tempo para tal, principalmenteo Parque Trianonda minha longinqua infância.

Soninha disse...

Olá, Zeca!

Que delícia de passeio!
Seu roteiro nos orienta para que possamos ver um pouco de tudo, em lugares super agradáveis e,ainda, poder curtir os livros da Cultura.
Adoro ler.
Eu,particularmente,só dispensaria a ida ao ensaio da escola de samba...não curto muito...rss.
Valeu!
Obrigada.
Muita paz!

Miguel S. G. Chammas disse...

mas eu curto e muiiiiiiiiiiiio. Aliás nasci no Bixiga e sou vavaiense desde quanco era ainda Cordão Carnavalesco.

Luiz Saidenberg disse...

Caro Zeca,
como sempre belos programas.
A sua série de gostos paulistanos poderia ser publicada como ótimo guia para turistas, e são realmente, ótimos lugares, ainda que a alguns caibam ressalvas.
Vc mesmo falou da Pça. da República, mal frequentada, distante do paraiso que já foi.
O mesmo acontece ao Jardim da Luz. Ainda que tenha recebido algumas esculturas modernas, conserva seu melancólico ar de abandono,uma tristeza pairando como miasma no local. Produto de muitos anos de decadência, da qual talvez agora comece a se recuperar. Mas,apesar de policiado, ainda tem mendigos e prostitutas, sendo meio constrangedor passar nele longe da bela Pinacoteca. De resto, roteiros nota dez! Abraços.

Luiz Saidenberg disse...

Ah sim, tb dispensaria o ensaio da Vai Vai. Não curto muito grandes e ruidosas demonstrações públicas.

Modesto disse...

Zeca, o sequencial das indicações, demonstram um policiamento ostencivo das atrações mais conhecidas de São Paulo. fazendo valer suas preferidas porewm, sem menospresar as não citadas. Um perfeito guia aos candidatos a se relacharem com estes passeios, escrever e enriquecer com fotos todos os citados fazendo uzo de seu texto, com sua permissão, evidentemente. Parabéns, Zeca.
Modesto