sexta-feira, 4 de maio de 2012

Moema, ex Indinópolis

imagem: velho pontilhão da avenida Ibirapuera - anos 60

No inicio dos anos 1950, eu não conhecia o nome Moema. Falava-se em Indianópolis, não sei por que cargas d´água, Indianópolis ficou sendo somente a Avenida. Eis que de repente ali ficou sendo Moema . No início dos anos 50 a prefeitura para homenagear a raça Árabe, trocou o nome da Avenida Indianópolis, para rua República do Líbano. Houve uma revolta do povo que tirou as placas jogando-as fora.
Depois através de um acordo entre moradores e prefeitura, esta avenida ficou com os dois nomes. Republica do Líbano até a Avenida IV Centenário, continuando como Avenida Indianópolis.
Mas a principal via de Moema já era a Avenida Ibirapuera. Com suas pistas divididas por uma canaleta por onde passavam os bondes que vinham do largo Sete de Setembro (Liberdade) indo até a, Avenida Adolfo Pinheiro (Santo Amaro). Até 1972 a Avenida Ibirapuera ficou com esse nome de "cabo a rabo". Mas com a morte do Zé da farmácia, (José de Oliveira Almeida Diniz) foi dado seu nome a uma parte da avenida a esse grande benemérito que foi o homenageado.
Zé da Farmácia como era conhecido, por ser um farmacêutico benemérito, foi candidato a vereador por muitas vezes representando o bairro de Santo Amaro, e perdia todas as eleições que concorria. Era muito amigo de Roque Petroni Junior, também farmacêutico, dono de uma humilde farmácia na Vila Cordeiro (Brooklin Velho) a Pharmacia Nossa senhora Aparecida.
Ambos tinham o mesmo ideal, estar sempre ao lado das pessoas necessitadas. Também Roque Petrella, medico se integrou aos dois, formando um trio da filantropia, que aos domingos iam, de casa em casa, ver como estavam àqueles moradores que tanto consumiam seus produtos.
Porem em 1972 ele se candidatou mais uma vez e dessa vez ganhou com uma boa votação. A eleição foi em outubro, mas em janeiro de 1973, dois meses antes de tomar posse, “Zé da Farmacia” veio a falecer trabalhando em sua farmácia de Santo Amaro e a Avenida Indianópolis passou a ter o nome original do Zé da farmácia, José de Oliveira Almeida Diniz a partir de um determinado setor
O bonde Santo Amaro que passava pela Avenida Ibirapuera que teve seu ultimo trajeto em 1968, foi também o ultimo dos moicanos, apenas ele resistia. As demais linhas de bondes já tinham sidos retirados de circulação. Nessa confusão Moema-Indianópolis, havia dois lados. A saber: Uma parte tinha denominações de Pássaros e outra de Índios. No lado pássaros, fala-se Moema. Já do outro lado da Avenida Ibirapuera onde prevalecem nomes de Índios, leia-se Indianópolis. Mas o povo costuma dizer Moema pássaros, e Moema Índios, desprezando Indianópolis. Onde se se situa o clube Sírio, por exemplo, é Indianópolis, para se ter uma base. Eu normalmente tomava o bonde na cidade, e descia na Avenida dos Eucaliptos, para ir ao Brooklin. Ali já tinha a denominação de Vila Helena bem em frente, tinha a Fiação Indiana, uma enorme fabrica de tecidos, terreno onde hoje se situa, o Shopping Ibirapuera. Já que falamos em Avenida dos Eucaliptos, essa via é por demais conhecido com esse nome, mas somente na boca do povo, porque oficialmente a Avenida dos Eucaliptos não existe. Seu nome oficial na prefeitura consta como Rua João Castaldi.
Veja o exemplo se alguém perguntar onde fica a panificadora Empório Santa Marcelina, todo mundo vai dizer que é na Avenida dos Eucaliptos. Mas ao verificar o cupom fiscal, verá que a razão social, consta rua João Castaldi.
Mas muitos encontros de anos atrás marcados em Moema eram em frente a igreja de Nossa Senhora de Aparecida ou então defronte ao prédio dos Brindes Pombo, pouco antes da igreja. Só não ia, quem estava a fim de dar “um grupo” a quem estava esperando. Porque desculpa era difícil de dar.

Por Mário Lopomo

7 comentários:

Miguel S. G. Chammas disse...

Quem disse que Memorias de Sampa não é cultura?
Tai o Mario fazendo uma retrospectiva do bairro de Moema e suas imediações. Valeu!

Miguel S. G. Chammas disse...

Ah! Diga-se de passagem que BRINDES POMBO era da família ROSTCHILD (Ernesto.

Laruccia disse...

Bela exposição sobre os magníficos bairros de Moema e Indianópolis. Memória de se respeitar, Mario, além de uma escrita leve e clara, os detalhes são bem explícitos. Parabéns, Lopomo.
Laruccia

Soninha disse...

Oieee..

Dados importantes e mais memórias sobre nossa Sampa!
Valeu!
Muita paz!

Wilson Natale disse...

Lopomo: Coisa boa essa de, além das memórias, não deixar se perder os antigos nomes de ruas que nós conhecemos. E o nome antigo do Bairro Moema - Igienópolis.
E que dizer dos velhos personagens do bairro que viraram nomes de rua?
Digo apenas que, sempre é muito bom saber quem dá, ou empresta seu nome às ruas. A cidade fica mais humanizada.
Gostei!
Abração,

Natale

Eduardo Perona disse...

Bons e saudosos tempos. Da feira na Mirúna da Maracatins em diante sentido Canal 7(Record), Nhambiquaras quando ainda de terra, Estrada velha de Santo Amaro com a Atual Bandeirantes onde comprava-mos hortaliças, Padaria Piraquara, etc..
Doces lembranças, lembro também para não ser injusto, da querida dona Iracema do cartório onde fomos registrados, meu irmão , minha esposa, minha filha e eu.
Parabéns por nos alentar nas lembranças.

Leonardo Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.